Módulo “Introdução à crítica cinematográfica” está com inscrições abertas

O quarto módulo do curso A Imagem como Potência acontece de fevereiro a março e propõe conhecimento sobre crítica cinematográfica para os alunos

As inscrições para o módulo “Introdução à crítica cinematográfica”, do curso “A imagem como potência”, que será ministrado pelo professor e pesquisador Cícero Pedro Leão, já estão abertas. Os interessados podem se inscrever até o dia 12 de fevereiro na aba inscrições do nosso site ou pelo telefone de contato (31) 98238-5352. A atividade é gratuita, realizada de forma online. As aulas acontecerão aos sábados, nos dias 13, 20 e 27 de fevereiro, e 6 de março, das 14h às 16h30.

“Introdução à crítica cinematográfica” é o quarto e último módulo do curso “A imagem como potência”, que é realizado por meio do Edital BH nas Telas, com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte. Não é obrigatória a participação dos módulos anteriores para realizar a inscrição, pois, apesar da relação entre cada um, eles também funcionam de maneira independente. Caso ocorra a demanda durante as inscrições, as aulas também terão tradução em libras. 

No módulo, apresentaremos diferentes formatos de crítica cinematográfica e realizaremos exercícios de análise fílmica, com a produção de textos reflexivos. Para tanto, comentaremos e estudaremos diferentes críticas escritas por autores clássicos e contemporâneos, sobre filmes canônicos, populares, atuais, experimentais etc, sendo que alguns textos serão sobre filmes sugeridos pelos alunos. Também teremos uma perspectiva histórica, debatendo textos de importantes críticos, como Paulo Emílio Sales Gomes, Andrea Ormond, André Bazin, François Truffaut e outros. Analisaremos os estilos textuais desses escritores assim como as suas contribuições para a cultura cinematográfica, abordando debates relacionados a questões como realismo, política dos autores, cinema popular brasileiro e subdesenvolvimento. 

Ao mesmo tempo, também realizaremos um módulo especial – sem inscrições – no Centro Socioeducativo Santa Terezinha, com quatro aulas para uma turma reduzida de até seis alunos, respeitando o distanciamento social e as orientações de saúde pública. O foco dessas reuniões é provocar um encontro de saberes, em que o saber acadêmico sobre o cinema aprende com o saber da experiência dos adolescentes e vice-versa. 

A iniciativa

Dividido em quatro módulos, o curso “A imagem como potência” apresenta e debate o universo cinematográfico de maneira social e inventiva, realizando um movimento de escuta e co-criação em um encontro de saberes da experiência. O curso é uma ampliação de uma iniciativa de Júlio Figueroa, professor do terceiro módulo, que atualmente realiza pesquisa de doutorado em Fortaleza sobre a colaboração que os jovens em conflito com a lei podem oferecer às práticas, reflexões e espaços cinematográficos e vice-versa.